Ato contra as privatizações e ataques da ECT mostram a força dos trabalhadores dos Correios do Piauí

 In Notícias, Uncategorized

Hoje (27), foi realizado durante toda a manhã um Ato dos trabalhadores dos Correios contra as privatizações das estatais e contra os ataques da direção da empresa. Com greve deflagrada desde o dia 19/09, muitos trabalhadores da capital e do interior participaram do ato mostrando a força de enfrentamento da classe trabalhadora contra as diversas tentativas da ECT de retirar direitos. Além dos ecetistas, estiveram presentes outras representações sindicais e movimentos sociais como, Unidade Classista, Unidade Popular, Sindicato dos Bancários, Sindserm, Ruptura Socialista, Sintrajufe, entre outras.

A greve dos trabalhadores dos Correios já conta com a adesão dos 31 sindicatos filiados à FENTECT, além das bases dos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo (capital), Maranhão e Tocantins que também deflagraram greve.

A ECT, em retaliação e a fim de pressionar os trabalhadores, divulgou no canal interno de comunicação, o “Primeira Hora”, a liminar do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que determina o quantitativo de 80% de ecetistas trabalhando, por unidade. A empresa se aproveitou da concessão da liminar para ameaçar sobre os descontos dos dias parados. Dessa maneira, os Correios descumprem até mesmo a lei de greve. Está clara a intenção da ECT em frustrar o movimento grevista.

“Com bandeiras levantas contra o fechamento dos Bancos Postais, a privatização das estatais, sucateamento dos serviços dos Correios e contra a retirada de direitos, estamos aqui hoje mostrando que não vamos ceder às pressões e ameaças da Direção dos Correios que são medidas arbitrárias e temerárias, que não tem a capacidade de resolver os problemas enfrentados. É necessário permanecermos com a mobilização nacional, para avançar em defesa dos direitos dos empregos da categoria ecetista.”, destaca Edilson Rodrigues, presidente do Sintect-PI.

Os trabalhadores fecharam a rua 7 de Setembro, onde fica localizado o prédio do edifício sede dos Correios em Teresina, em forma  de protestos aos diversos ataques que a categoria vêm sofrendo ao longo dos anos.

A greve da categoria segue por tempo indeterminado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recent Posts

Fale Conosco

Contact Us