Não podemos recuar em razão das práticas antissindicais cometidas pela ECT e TST! Todos juntos na GREVE!

 In Notícias, Uncategorized

O ministro vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Emannoel Pereira, decretou no dia 28/09 que a greve dos trabalhadores dos Correios é abusiva, sendo a decisão do ministro tomada de forma monocrática no processo de Dissídio Coletivo, ajuizado pela ECT, sem audiência de conciliação, para que houvesse contraditório e ampla defesa, a fim de impor uma derrota aos trabalhadores dos Correios com a retirada dos benefícios e a destruição da empresa.

A Fentect e o Sintect-PI já estão trabalhando juridicamente para derrubar esta liminar e esclarecer devidamente toda a situação no Tribunal Superior do Trabalho, para que sejam devolvidos os salários que foram descontados dos trabalhadores em greve, mas isso só vai acontecer se houver grande resistência dos trabalhadores na greve. O CNMN esclarece ainda que toda liminar proferida cabe-se recursos, o que neste caso, só poderão ser julgados pelo pleno do TST, não dependendo do julgamento da vontade ou da interpretação de um único magistrado. Portanto, a decisão é totalmente política e patronal.

É bom relembrar também que a empresa abandonou as negociações com a Fentect e manteve uma “falsa negociação” com a Findect, construindo assim uma proposta somente de retirada de direitos dos trabalhadores. Com isso, a insatisfação dos trabalhadores só aumentaram e, na última terça-feira (26), as bases sindicais da Findect, em assembléias, também deflagram greve, passando por cima da orientação dos seus sindicatos, com exceção do sindicato de Bauru que seu presidente, José Gandara, é também presidente da Findect e dirigente do PMDB, partido do presidente do Temer.­­­

Sabe-se que uma greve é prejudicial a todos, inclusive aos trabalhadores, mas não restou alternativa diante do descaso da direção dos Correios que a todo o momento vai à imprensa para levar a sociedade ao erro, expondo os próprios trabalhadores como se fossem culpados pelo déficit da estatal. Mesmo assim, o CNMN continua de plantão, em Brasília, esperando a retomada das negociações com a empresa ou audiência de conciliação no TST.

A luta continua! O Sintect-PI reafirma que a luta pelos Correios como empresa pública, eficiente e de qualidade se manterá forte. É importante que a GREVE permaneça e siga com grande adesão, pois lutamos em defesa dos direitos, dos empregos e da dignidade dos trabalhadores.

Não podemos recuar, por isso, chamamos todos os trabalhadores dos Correios do Brasil para resistirem às práticas antissindicais cometidas pela empresa, pelo TST e pelos sindicalistas pelegos. Só assim o TST e ECT terão que chamar os ecetistas para discutir, não só sobre os dias parados, como também, sobre a devolução dos descontos dos salários dos grevistas e, principalmente, a garantia dos demais benefícios ameaçados pelos Correios.

Rumo à Brasília, dia 03/10, no grande ato nacional contra a privatização dos Correios e em defesa dos nossos direitos.

Nenhum direito a menos!

Meus direitos e empregos ficam, Guilherme Campos sai!

 

Recommended Posts

Fale Conosco

Contact Us