NO PIAUÍ, ESTAMOS EM GREVE!

 In Notícias, Uncategorized

Em todo o Brasil, os trabalhadores dos Correios estão em greve por tempo indeterminado, desde as 22h do dia 11 de março, aqui no Piauí, desde 0h00 do dia 12/03, como foi aprovado em nossa assembléia extraordinária que aconteceu no dia 01/03, como resposta a intransigência da Direção da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT), que levou para justiça do trabalho a exigência do pagamento de mensalidade e compartilhamento no plano de saúde, assim como, a retirada dos pais de todos os trabalhadores.

A Greve que esta acontecendo a nível nacional, vai muito além da nossa luta pela manutenção do plano de saúde. Ela está relacionada a diversos ataques que a categoria vem enfrentando nos últimos anos. O que coloca a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (FENTECT) e no nosso caso, o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Piauí (SINTECT-PI) também no combate pelos direitos da categoria que foram adquiridos e hoje estão na eminência de serem retirados.

A greve nacional dos trabalhadores dos Correios é contra as alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS); a terceirização na área de tratamento; a extinção do cargo de Operador de Triagem e Transbordo (OTT), a privatização da estatal; suspensão das férias dos trabalhadores, como em 2017; extinção do diferencial de mercado; descumprimento da cláusula 28 do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que trata da assistência médica da categoria, e contra a redução do salário da área administrativa. Além disso, entre as demandas dos ecetistas estão à contratação de novos funcionários via concurso público, a segurança nos Correios e o fim dos planos de demissão.

Hoje (12/03), teremos em Brasília o julgamento que trata exatamente de um dos maiores ataques que os funcionários dos Correios vêm enfrentando com relação ao Plano de Saúde, onde o Tribunal Superior do Trabalho (TST) vai definir o destino de milhares de vidas ligadas a ECT.

Não podemos esquecer que no serviço público federal, temos a menor média salarial, que é de R$ 1.600,00 (o pior salário entre empresas públicas e estatais). Durante os últimos anos, lutamos pela manutenção dos benefícios que a categoria havia conquistado em anos de luta, como compensação aos baixos índices de reajustes no nosso salário.

A direção da ECT continuou aumentando o ataque e desmantelando a empresa, seja com a má administração como no ataque direto aos nossos direitos. Propondo o pagamento do plano com um reajuste conforme a idade, chegando a mensalidades acima de R$ 900,00 para os pais e funcionários com idade avançada.

Enfim, não se trata de uma luta de caráter individual, nem apenas dos ecetistas, mas faz parte de uma luta coletiva de todos os trabalhadores contra a política de desmonte do patrimônio público federal, que vem sendo executado por Michel Temer e seus apoiadores, destruindo o patrimônio da União.

É preciso unidade e força para vencer essa batalha. Pois só com a disposição, perseverança, organização e muito trabalho, vão evitar que os ataques contra a ECT e todo povo brasileiro seja consolidado.

No Piauí, permaneceremos firmes, construindo um movimento sólido e permanente, onde os trabalhadores ecetistas estão dispostos a lutar por seus direitos e contra o desmonte da ECT.

Diretoria do Sintect-PI

Recommended Posts

Fale Conosco

Contact Us